Dono de oficina e sucateira condenado

O dono de uma oficina e sucateira no concelho de Alvaiázere, foi condenado a sete anos e seis meses de prisão efetiva pelo Tribunal de Leiria, na sexta-feira dia 19 de outubro. O acórdão, lido pelo Juízo Central Criminal de Leiria, refere que ficaram provados, para o arguido José Gomes, “cinco crimes de recetação, sete de falsificação de documento, um crime de furto simples e outro de posse de arma proibida”. O filho do sucateiro, que trabalhava na oficina juntamente com o pai, também foi condenado a uma pena de um ano e nove meses, “suspensa na sua execução por igual período, com regime de prova”. No mesmo acórdão dá-se ainda como assente que estes crimes aconteceram entre o ano de 2014 e março de 2017 e que, durante este tempo foi efetuada pelos arguidos a “alteração de elementos de identificação de veículos, a fim de (…) os revenderem (…), assim como (…) a venda a terceiros de peças e componentes de viaturas. Tais veículos eram obtidos através da subtração contra a vontade dos respetivos proprietários (…), que os desmantelavam, viciavam e comercializavam. (…) Mais se deu como provado que os arguidos, contra a vontade dos seus proprietários, retiravam outros bens (…), tais como berbequins, motosserras, rebarbadoras, balanças e pneus”.

A investigação foi efetuada pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Leiria, com a coadjuvação no Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Pombal, que em março de 2017 levou a cabo uma megaoperação, em seis distritos do Centro, e que resultou na detenção de 15 pessoas, três das quais sucateiros. Dos 16 arguidos deste processo, apenas 11 foram condenados e desses apenas cinco vão cumprir pena efetiva de prisão.