Incêndio numa habitação deixou família desalojada

No passado dia 4 de fevereiro um incêndio numa habitação na localidade de Loureira, freguesia de Pussos S. Pedro, deixou um casal e dois filhos menores desalojados. O incêndio aconteceu perto das 11h00, numa altura em que a família se encontrava ausente, deixando assim a habitação destruída por completo.

O alerta foi dado por um senhor que estava a passar no local e reparou no fumo, indo logo de seguida falar com a irmã de João Paulo, que se encontrava no café, dizendo-lhe que o irmão estava a queimar muito plástico, o que a surpreendeu, pois sabia que ninguém se encontrava em casa (o casal de vendedores ambulantes estava na feira em Pelmá e os dois filhos estavam na catequese), tendo chamado de imediato os Bombeiros Voluntários de Alvaiázere.

João Paulo mencionou ao Jornal “O Alvaiazerense” que ficou a saber do incêndio depois de ver as várias chamadas não atendidas da sua irmã e ter assim depois conseguido falar com alguém que lhe contou que o telhado da casa estava a arder, não tendo acreditado de imediato, e só quando chegou ao local é que se deparou com a situação.

Quando questionado em relação à origem do incêndio, João Paulo afirmou que podia ter sido um curto-circuito, mas que encontraram também uma botija de gás rebentada.

A família esteve algum tempo a morar na casa de um familiar, mas atualmente está numa casa disponibilizada pela Câmara Municipal, no Bairro Social de Alvaiázere.

O casal teve muita ajuda de amigos e familiares, que lhe ofereceram alguns objetos essenciais, visto que ficaram sem nada, e pretendem reconstruir a casa aos poucos, para assim poderem voltar à sua habitação.

As pessoas que desejarem e tencionarem contribuir financeiramente para que esta família possa refazer a sua vida, encontra-se aberta uma conta solidária no Millennium BCP (IBAN: PT50003300004552452956005), podendo também optar por ajudar com materiais/objetos, pois a família necessita de toda a ajuda possível.

No local estiveram seis viaturas, sendo elas de combate, saúde e apoio logístico, e ainda a GNR, num total de dezassete operacionais.