Prisão preventiva por violência doméstica

O Tribunal de Leiria decretou, no dia 20 de março, prisão preventiva a um homem, residente em Alvaiázere, suspeito de violência doméstica agravada, roubo, ameaça agravada, coação e ofensa à integridade física.

Uma nota publicada na página da Procuradoria da Comarca de Leiria refere que “verificando-se a existência de perigo de continuação de atividade criminosa”, o juiz de Instrução Criminal de Leiria decretou que o arguido aguardasse a continuação do processo em prisão preventiva.

A investigação criminal, coordenada pelos serviços do Ministério Público do Departamento de Investigação e Ação Penal de Pombal levou à sua detenção pela GNR. Os militares deram cumprimento a mandados de detenção por este estar “fortemente indiciado” da prática de diversos ilícitos criminais.

Segundo o Ministério Público, durante este ano, “por diversas vezes, no interior da residência”, o suspeito “dirigiu-se à sua mãe, à sua avó e ao seu tio (…) injuriou-os e ameaçou-os, causando-lhes um sentimento de insegurança”.

Além disso, é ainda referido que chegou a exigir a entrega de importâncias monetárias, enquanto “desferia vários murros, bofetadas, cabeçadas e pontapés, atingindo-os em diversas partes do corpo, chegando a recorrer a facas e forquilhas”.

A investigação irá prosseguir sob a direção do Ministério Público do Departamento de Investigação e Ação Penal de Pombal, com a coadjuvação do Destacamento Territorial de Alvaiázere da GNR.