Notícias Breves

No mês de agosto, o Município de Alvaiázere lançou um alerta dirigido à população relativamente a falsos pedidos que estão a ser feitos para recolher água para análise. O alerta foi lançado depois de o Município ter tido conhecimento que estavam a ser feitos contactos telefónicos aos munícipes, questionando a disponibilidade para se deslocarem até às suas habitações para proceder à recolha de água para análise.

Alvaiázere é um dos 17 concelhos afetados pelos incêndios florestais nos quais é proibido o exercício da caça a partir do dia 30 de setembro, de acordo com um decreto-lei publicado no dia 25.

Neste diploma, publicado pelo Ministério da Agricultura, é referido que na época venatória 2017/2018 é proibido caçar qualquer espécie cinegética “nos terrenos situados no interior da linha perimetral da área percorrida por incêndio, ou grupos de incêndios contínuos de área superior a 1000 hectares, bem como numa faixa de proteção de 250 metros”.

O Centro de Saúde de Alvaiázere é um dos estabelecimentos de saúde referenciado para a contratação de mais clínicos de medicina geral e familiar, num despacho conjunto dos Ministérios das Finanças e da Saúde, publicado em Diário da República (Despacho nº 7788/2017, Diário da República nº171/2017, de 5 de setembro).

Eram 19h40 do dia 11 de agosto quando se registou um foco de incêndio no lugar dos Bispos, freguesia de Pussos S. Pedro, que rapidamente se propagou aos concelhos vizinhos de Ferreira do Zêzere e Figueiró dos Vinhos.

No combate a este incêndio, que chegou a ter quatro frentes ativas em povoamento florestal, estiveram envolvidos 320 operacionais e 99 meios terrestres, segundo dados da Autoridade Nacional da Proteção Civil.

O Município de Alvaiázere é um dos dez Municípios que elaborou e submeteu a aprovação do Plano Municipal de Mobilidade Elétrica, que prevê a atribuição de um total de vários pontos de carregamento em Municípios estratégicos, de forma a reduzir as distâncias entre os pontos já existentes.

Para além de Alvaiázere, os Municípios de Abrantes, Chaves, Elvas, Estremoz, Seixal, Trofa, Valença, Vendas Novas e Vila Nova da Barquinha manifestaram também o seu interesse em integrar a Rede Portuguesa de Cidades Inteligentes e o Programa para a Mobilidade Elétrica em Portugal.

No mês de agosto o Município de Alvaiázere anunciou a aprovação de duas candidaturas a fundos comunitários que prevêem a criação da Plataforma Empresarial de Alvaiázere e o alargamento da Zona Industrial de Tróia, um investimento que ascende a um milhão de euros (incluindo os valores da empreitada e da execução do projeto), e cuja comparticipação será na ordem dos 720 mil euros.

Um mês depois dos grandes incêndios florestais de Pedrógão Grande (Leiria) e Góis (Coimbra), dos quais resultaram 64 mortos e mais de duas centenas de feridos, os Municípios de Alvaiázere e de Ansião tomaram uma posição conjunta e enviaram uma carta ao primeiro-ministro, António Costa, e ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, na qual exigem a sua integração no projeto piloto de reordenamento do território, que foi anunciado pelo Governo.

No dia 18 de julho, a presidente da Câmara Municipal de Alvaiázere, Célia Marques, esteve em Leiria para a assinatura do protocolo para a instalação da Loja do Cidadão do Concelho, numa cerimónia que contou também com a presença da Secretária de Estado da Modernização Administrativa, Graça Fonseca.

Alvaiázere +, é o nome da nova incubadora de negócios do Município de Alvaiázere, que promete agitar o ecossistema empreendedor da região centro e que tem como missão tornar o Município de Alvaiázere num Território com + ideias, + investimento e + emprego.

As sete autarquias dos concelhos afetados pelos recentes incêndios florestais: Alvaiázere, Ansião, Góis, Oleiros, Pampilhosa da Serra, Penela e Sertã, subscreveram uma carta dirigida ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, a solicitar apoio estatal, à semelhança do que vai acontecer em Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera.