Bombeiros Voluntários de Alvaiázere receberam ajuda do Cônsul Honorário Caesar DePaço

Caesar DePaço, Cônsul Honorário de Portugal na Florida, esteve presente no passado dia 11 de maio nas instalações da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alvaiázere (AHBVA) para ser padrinho de um Veículo de Apoio Logístico Específico (VALE), que ajudou a recuperar através de um donativo feito no início do ano, no valor de 15 mil euros.

O Cônsul frisou que o seu desejo era poder ajudar os bombeiros de todo o país, mas que, não sendo possível, vai ajudando à medida que consegue. Depois de saber das necessidades existentes por parte da Associação em questão, declarou que ia doar mais 10 mil euros para poder amparar as necessidades mais emergentes da AHBVA.

Caesar DePaço não tem raízes no concelho de Alvaiázere, é natural de Madalena do Pico, Açores, e nunca tinha ouvido falar de tal vila até ao dia em que Maria João Ávila, antiga deputada do PSD que trabalha na sua empresa farmacêutica nos Estados Unidos da América, o juntou na mesma mesa com a deputada do PSD eleita pelo distrito de Leiria, Teresa Morais. Nesta altura, o Cônsul já tinha ajudado os Bombeiros de Carnaxide, depois de saber as condições que estes tinham nos incêndios de Pedrógão Grande, contou Maria João Ávila.

Assim, em conversa, Teresa Morais disse-lhe que tinha “uma lista” e falou sobre os Bombeiros de Alvaiázere, que quase tinham perdido uma ambulância nos incêndios de Pedrógão Grande e que não tinham fundos para a mandar arranjar. Teresa Morais destacou ainda que foi apenas a mensageira da situação e que considera Caesar DePaço uma pessoa muito generosa, pois quando vem sempre a Portugal tenta ajudar sempre alguma instituição que tenha necessidades.

Célia Marques, presidente da Câmara Municipal de Alvaiázere, elogiou e agradeceu à deputada Teresa Morais, por ser “uma amiga de Alvaiázere”, lamentando o sentimento de abandono por se tratar de um Concelho de dimensões reduzidas.

O comandante dos BVA, Mário Bruno Gomes, lamentou também o esquecimento do poder central: “só se lembram de nós quando há desgraças”, afirmando ainda que as prioridades são muitas, mas que “neste momento as maiores dificuldades são ao nível dos equipamentos para o quartel”, como por exemplo, camas, roupeiros e vestiários para os bombeiros que dormitam no quartel. Mário Bruno Gomes sublinhou ainda que atualmente há necessidade de ter um veículo de combate a incêndios de dimensões mais pequenas, para assim haver possibilidade de ir a locais mais escondidos, onde os outros acabam por não entrar.

Por último, Joaquim Simões, presidente da direção da AHBVA, descreveu o Cônsul como sendo um homem generoso e agradeceu com a entrega de um diploma de Sócio Honorário da AHBVA, que também foi entregue à deputada Teresa Morais e a Maria João Ávila.

Mónica Teixeira