XXIII Festival de Folclore promovido pelo Rancho Folclórico da Freguesia de Pussos e XXIV aniversário

“Obrigada por fazerem parte da festa maior do Folclore, que é o seu Festival”

Foi entre amigos e três ranchos convidados que, no passado dia 7 de setembro, se comemorou e festejou os 24 anos de existência do Rancho Folclórico da Freguesia de Pussos (RFFP).

A 12 meses de fazer os 25 anos, esta festa serviu de “preparação para a grande efeméride do próximo ano”. O Centro Cultural e Recreativo em Cabaços, “local onde semanalmente o RFPP realiza os seus ensaios e que é gentilmente cedido pelo presidente Arménio Simões”, foi o sítio escolhido para acolher os quatro ranchos, três deles convidados e o grupo anfitrião, para a sessão de boas vindas, depois de terem feito uma visita ao recinto do espetáculo e terem visitado uma interessante exposição do rffp sobre jogos, brinquedos e instrumentos musicais tradicionais, patente ao público numa das montras da Casas da Noivas de José de Jesus. O Centro foi decorado com vários quadros e fotografias de atividades realizadas pelo grupo aniversariante e vários objetos que têm uma representatividade especial e são característicos de cada uma das zonas dos vários ranchos convidados.

A representar as regiões do Alto e Baixo Minho esteve o Rancho Folclórico da Casa do Minho, em Lisboa, e um vestido com o coração de Viana, cedido pelo CEART; o Grupo Folclórico Camponeses de Vila Nova, de Coimbra, representou Gândara, Bairrada e Mondego e como símbolos da Vila de Condeixa, a feira das cebolas; o Alto Ribatejo foi representado pelo Rancho Folclórico São Miguel, de Carregueiros, Tomar, que, em sua homenagem, teve presente um exemplar de um tabuleiro, o qual foi cedido pela Junta de Carregueiros.

Daniela Santos, diretora técnica do RFPP, foi a anfitriã da sessão de abertura e guiou os convidados por um passeio “cinematográfico”, de visualização de pequenos filmes, com arranjos conseguidos de Jorge Antunes, sobre cada um dos grupos e regiões presentes, contando assim um pouco da sua história e atividades. Finda esta apresentação, procedeu aos agradecimentos iniciais. “Em primeiro lugar aos elementos que este ano entraram no grupo, pela vossa persistência em cada ensaio, por me ajudarem a ajudar-vos, por cada esforço que fazem em cada atuação e dizer-vos que com o tempo serão ainda melhores e o nervosismo para as atuações vai acabar por passar”, referiu Daniela. Acrescentou, de seguida, elogios a “todos os que, semanalmente, não falham aos ensaios e àqueles que durante esta semana trabalharam para estarmos todos aqui hoje, confortáveis a jantar e no recinto com tudo em ótimas condições”. A diretora técnica fez ainda questão de lembrar que “todos somos uma família e que preservamos esta união tão bonita que nos levará cada vez mais longe”.

A cerimónia prosseguiu com a entrega de lembranças. Primeiramente à “D. Laurinda, que ajuda com a comida, ao sr. Fernando, que trata do som e ao sr. Joaquim Carvalho”. Logo de seguida, foram chamados ao palco, (também para receber uma caneta,) várias entidades que colaboram e ajudam na divulgação dos eventos do rancho. Também os elementos do RFPF tiveram um lugar especial nesta cerimónia, tendo sido convidados a subir ao palco, um por um, os novos elementos e recebido um “guarda-roupa” e todos uma lapiseira personalizada. O Grupo Dinamizador Cultural de Cabaços, impulsionador do início do RFFP , também foi lembrado, afinal “é por eles que aqui estamos hoje”, e, por isso, também os elementos ali presentes subiram a palco e receberam uma lembrança pelo seu trabalho. A encerrar a entrega de lembranças, foram chamados os porta-estandartes de cada grupo, tendo recebido uma cesta de vime escuro, chícharo e azeite a evocar o artesanato e produtos locais e uma fita pela sua participação na maior “festa do folclore”. Sílvia Lopes, vereadora da Câmara Municipal de Alvaiázere, foi convidada a entregar (uma das fitas) a um dos ranchos convidados e, dirigindo-se depois ao grupo anfitrião da festa, afirmou “continuem a divulgar da melhor forma que sabem a nossa terra”. Celestina Grácio encerrou os discursos e homenagens, agradecendo a todos por “fazerem parte da festa maior do folclore, que é quando os ranchos e levam ao público o seu festival”.

Foi depois servido o jantar a todos, fortalecendo assim os estômagos e dando forças para a grande noite de folclore em homenagem à cultura popular e tradicional das regiões presentes, que se realizou na praça 10 de outubro. A apresentação do festival coube a Miguel Carvalho. Todos os grupos exibiram os seus cantares e modas bailadas, a diversidade do seu trajar, bem como a alegria e boa disposição características das gentes do povo para uma plateia bem composta, que que aplaudiu entusiasticamente os grupos. A noite estava agradável e ninguém arredou pé até ao final. Já depois da meia noite os presentes cantaram os parabéns ao Rancho Folclórico da Freguesia de Pussos, um modo de antecipar a grande festa dos 25 anos da associação.

Ana Catarina de Oliveira