Entrevista aos candidatos à Junta de Freguesia de Pelmá

Autárquicas 2017

No contexto das Eleições Autárquicas que se realizam no próximo dia 01 de outubro, o Jornal “O Alvaiazerense” entrevistou os cabeças de lista dos principais partidos candidatos à presidência dos órgãos autárquicos do Concelho.

Por uma questão de igualdade no tratamento jornalístico, foi concedido um espaço limitado e igual para cada um dos candidatos. A ordem das entrevistas foi feita de acordo com o sorteio oficial realizado no Tribunal de Alvaiázere, estipulado para os boletins de voto.

Este espaço é da inteira responsabilidade dos candidatos.


Cláudia Rodrigues

Comercial

(Pelmá)

Independente

1 - Qual o balanço que faz do trabalho desenvolvido ao longo deste mandato pelo atual executivo?

Ao longo de oito anos, integrando o executivo, fizemos um trabalho que muito nos orgulha. Hoje, a Junta de Freguesia dispõe de funcionários, viaturas e ferramentas que lhe permite cumprir a sua missão. Criamos e conservamos vias e espaços públicos. Melhoramos o espaço e a qualidade de atendimento na Junta, mas não esquecemos a frustração de não termos conseguido impedir o fecho do Centro de Saúde, escola primária e jardim-de- -infância, com cerca de 50 alunos. Ainda assim, é um balanço muito positivo e estamos convictos que é um trabalho para continuar e melhorar.

2 - Quais as razões que levam a (re)candidatar-se à Junta de Freguesia?

Há uns meses, o PSD (pelo qual vencemos as últimas eleições), com a participação ativa do atual presidente de junta, escolheram um cabeça de lista militante e recrutaram futuros candidatos, sem comunicar e até desinformando o restante executivo. Só fomos informados na semana anterior à apresentação dos candidatos do partido de que, afinal, o presidente (com o qual tínhamos a intenção de continuar), já não iria entrar na lista e queriam que integrássemos essa lista de liderança imposta. Ora, se o partido tem a legitimidade para escolher os seus candidatos, a forma como procedeu e a deslealdade com que o atual presidente agiu, decidimos rejeitar. Perante isto, e aceitando o desafio lançado por tantos pelmanenses, garantiremos aos eleitores a possibilidade de votar pela continuidade. O movimento “Juntos pela Pelmá” nasceu da vontade de se continuar um trabalho que se renovará ou cessará por escolha dos pelmanenses e não por jogos partidários. Não é um movimento contra nada nem contra ninguém. Trabalharemos com todos e para todos. Candidatamo-nos como independentes, com uma liderança renovada e uma equipa reforçada, mas com a lealdade e vontade de trabalhar em prol da nossa terra, que a nossa gente conhece, porque o nosso juramento foi e sempre será à Pelmá e aos pelmanenses.

3 – Caso seja eleito(a), quais as primeiras medidas a implementar?

Queremos ouvir mais as pessoas e agir de forma mais próxima e transparente. Assim, iremos reunir com todas as coletividades para coordenar recursos e identificar necessidades para que as soluções se reflitam no planeamento de 2018. Aumentaremos a nossa presença nas redes sociais, a partilha de atas de reuniões e outros documentos de interesse coletivo. Encetaremos o desenho de um programa regular de atividades, entre outras medidas.


Ludgero Marques

Gestor de Qualidade

(Pelmá)

CDS-PP

1 - Qual o balanço que faz do trabalho desenvolvido ao longo deste mandato pelo atual executivo?

Nos últimos quatro anos, as inovações e iniciativas foram muito poucas e as que se promoveram tiveram fraca ou mesmo nenhuma visibilidade. São exemplos disso mesmo a festa da freguesia, a renovação de espaços, a cooperação entre as várias associações e o executivo, entre outros. Na realidade, o atual executivo esteve sobretudo ao serviço do partidarismo, ao invés de defender os interesses da freguesia e das suas gentes.

2 - Quais as razões que levam a (re)candidatar-se à Junta de Freguesia?

Sobretudo, tenho a plena capacidade de colocar os interesses da população à frente de quaisquer outros, bem como o de ser um elo de ligação entre todas as entidades da freguesia e do Concelho. Essa capacidade assenta no facto de residir na freguesia, e por isso viver e acima de tudo, sentir realmente as preocupações e necessidades diárias das suas gentes.

3 – Caso seja eleito(a), quais as primeiras medidas a implementar?

Cumprir as atribuições estabelecidas pela lei em vigor, tais como a promoção e salvaguarda dos interesses próprios da população, os contratos de delegação e acordos de execução em articulação com o Município, por forma a contribuir para a unificação dos interesses e necessidades de todas as freguesias. Fazer um levantamento de todos os terrenos baldios, promovendo a sua rentabilização em prol de todos os habitantes da freguesia. Limpeza e manutenção de todos os caminhos rurais, com o objetivo de facilitar os acessos em situações de emergência. Valorizar e preservar os espaços naturais mais emblemáticos da freguesia com o intuito de atrair visitantes e promover o mapa turístico. Desenvolver a cultura, priorizando a família como um todo, combatendo deste modo o isolamento, a atual passividade das associações já existentes, assim como dar a possibilidade de se formarem movimentos capazes de catapultar a freguesia fora de portas.


Vidal Duarte

Empresário

(Pelmá)

PSD

1 - Qual o balanço que faz do trabalho desenvolvido ao longo deste mandato pelo atual executivo?

Mais do que avaliar o que foi feito, é mais importante estruturar um projeto de futuro para a freguesia, com gente renovada e motivada, que esteja empenhada apenas em servir a Pelmá e que una todos os Pelmanenses. Naturalmente que o bom trabalho do presidente Pascoal Gomes, que apoia este projeto, nos deve responsabilizar e motivar em fazer mais e melhor.

2 - Quais as razões que levam a (re)candidatar-se à Junta de Freguesia?

Devo muito da minha vida à minha terra, à Pelmá. O amor que tenho à Pelmá motiva-me a querer retribuir aquilo que a Pelmá e os Pelmanenses também me deram. Sinto que a experiência de vida que adquiri ao longo dos anos, de muito trabalho na minha atividade empresarial, mas também junto da comunidade local, dão-me as competências necessárias para fazer mais pela Pelmá. Motivado por um conjunto alargado de pessoas que acreditam em mim, que consideram que posso contribuir para o desenvolvimento da minha freguesia, constituí uma equipa que me orgulha e em quem confio, e que vai certamente fazer tudo para melhorar a vida da nossa população.

3 – Caso seja eleito(a), quais as primeiras medidas a implementar?

A prioridade de ação da Junta de Freguesia vai ser trabalhar com o objetivo de oferecer uma resposta concreta à população socialmente mais desprotegida, nomeadamente, à população idosa. Vamos promover as diligências necessárias para que haja uma oferta de serviços na nossa freguesia nessa matéria. Queremos rejuvenescer a freguesia, torná-la atrativa para os mais jovens. Por isso, vamos trabalhar no sentido de ter mais e melhores condições para a fixação de população e para melhorar a qualidade de vida da juventude. A Pelmá tem ainda um vasto património cultural, natural e edificado, que tem que ser valorizado. Vamos trabalhar nesse sentido, de forma a trazer gente à nossa freguesia e a criar novas dinâmicas. Eu e a minha equipa estamos motivados em trabalhar para a Pelmá e para os Pelmanenses. Esta não é uma candidatura negativa; não nos apresentamos a eleições contra ninguém. Somos candidatos porque temos um projeto ambicioso, um rumo bem definido, que sabemos que é o certo para a Pelmá.