Tomada de posse dos novos órgãos autárquicos

No passado dia 19 de outubro teve lugar, no Salão Nobre dos Paços do Município de Alvaiázere, a tomada de posse da Assembleia Municipal e da Câmara Municipal, na sequência dos resultados das eleições autárquicas do dia 1 de outubro.

A sessão foi conduzida por Álvaro Pinto Simões, na qualidade de presidente da Assembleia Municipal cessante, procedendo à tomada de posse dos deputados eleitos para a Assembleia Municipal: oito deputados eleitos pelo PSD (Álvaro Clemente Pinto Simões, José Tiago Guerreiro, Alzira Alves Ferreira da Silva, António Simões Ribeiro, Vítor Manuel Rodrigues Simões de Sousa, Cristiana Rodrigues Alves dos Santos, Carlos Manuel da Rosa da Graça e José Nunes Rosa), quatro pelo PS (Acílio Dias Godinho, António Conceição Gonçalves, Maria Fernanda dos Santos Balas e Fernanda Freire Simões Alves) e três pelo CDS-PP (Pedro Rafael Coelho Simões, Fernanda Conceição Santos Fernandes Sousa e António José de Oliveira Gonçalves), num total de quinze deputados.

Naquela que foi a primeira sessão da Assembleia, o grupo parlamentar do PSD apresentou uma lista para a mesa deste órgão, que foi submetida a votação e eleita por maioria: Álvaro Pinto Simões foi reeleito presidente, José Guerreiro secretário e Alzira Silva segundo secretário.

O executivo municipal para os próximos quatro anos é liderado por Célia Marques, eleita pelo PSD, bem como os vereadores Agostinho Gomes e Sílvia Lopes, sendo também constituído por dois vereadores eleitos pelo PS, Carlos Simões e Anabela Simões.

Dirigindo-se a todos os presentes na sala, a quem agradeceu o estímulo e a força que para si representam, Célia Marques começou por sublinhar que enquanto estiver em funções na Câmara Municipal, irá ouvir todas as propostas e críticas legítimas que sejam apresentadas sobre qualquer assunto, decidindo sempre em prol dos interesses do Concelho, afirmando: “no desempenho das funções de que agora fui investida, serei a presidente de Câmara de todos, respeitando e tratando todos de forma justa e igualitária. Todos contam e todos são importantes, desde os membros do executivo, aos restantes órgãos municipais, às instituições do concelho, a todos os alvaiazerenses, e com todos procurarei, num verdadeiro trabalho de equipa dar corpo aos compromissos que apresentei durante a campanha eleitoral”.

Para os próximos quatro anos, a autarca afirmou que o executivo está empenhado na execução do seu projeto, que consiste em tornar o Concelho mais atrativo em três vertentes: investir, viver e visitar, sempre numa ótica de política de proximidade, atenta às preocupações e aos anseios dos munícipes.

A presidente da Câmara Municipal definiu as linhas programáticas para o seu mandato, que passam fundamentalmente pela dinamização do ecossistema empreendedor e empresarial de Alvaiázere (que inclui medidas como a requalificação da Zona Industrial de Troia e a criação da plataforma empresarial); o desenvolvimento dos setores agrícola e florestal; a qualificação dos produtos endógenos e a valorização e proteção do património alvaiazerense, sem esquecer a revisão do Plano Diretor Municipal (PDM).

Célia Marques comprometeu-se também a fomentar a utilização dos equipamentos desportivos existentes no Concelho, a criar um pacote de medidas de incentivo e apoio às famílias e aos mais jovens e a comparticipar os manuais escolares para as crianças até ao segundo ciclo de escolaridade e as refeições escolares para as crianças do ensino pré-escolar e do primeiro ciclo.

Na prossecução dos seus objetivos, a presidente reiterou que conta com o empenho já demonstrado pelos funcionários da autarquia, concluindo: “quero contar, também, com os empresários, os produtores, os comerciantes, as associações deste Concelho, atores chave no percurso de inversão do esvaziamento demográfico e crescimento económico. E, claro, não podia deixar de o manifestar, conto com todos os alvaiazerenses, com a sua compreensão e confiança na implementação deste projeto mas, acima de tudo, com o seu comprometimento e envolvimento neste desígnio comum de fazermos de Alvaiázere um território mais coeso e mais desenvolvido”.

Cláudia Martins