Junta de Freguesia de Maçãs de D. Maria recebeu a última sessão do 3º Ciclo de Palestras de Inverno

Teve lugar no passado dia 18 de março a terceira e última sessão do 3º Ciclo de Palestras de Inverno, que se realizou no auditório da Junta de Freguesia de Maçãs de D. Maria, como tem vindo a ser.

Esta sessão contou com três ilustres convidados que presentearam a audiência com conhecimentos sobre o passado histórico e patrimonial da freguesia de Maçãs de D. Maria.

O presidente da junta de freguesia de Maçãs de D. Maria, Eduardo Craveiro, deu início ao dar as boas vindas a todos e apresentou os convidados. Este afirmou que a junta pretende que todos os meses haja um evento, para assim existir ritmo cultural mensal.

A sessão começou com a intervenção de Carlos Craveiro, que deu a conhecer ao público o “Território e paisagem de Maçãs de Dona Maria”, abordou as várias características do território, assim como a paisagem de Maçãs de D. Maria, tendo esclarecido que “território” é o que uma região possui e que distingue uma terra da outra.

De seguida, foi a vez do palestrante Acílio Godinho com o tema “Associativismo concelhio com destaque para Maçãs de Dona Maria”, que elucidou o público sobre um estudo de associativismo no concelho de Alvaiázere, mas com especial destaque para a freguesia em questão. O orador começou por caraterizar o que se trata de associativismo, falando também sobre as associações que existiam antes do 25 de abril de 1974 e as que surgiram depois. Este transmitiu que a primeira associação na freguesia, foi o Club Recreativo de Maçãs de D. Maria, fundada no ano de 1909 e que terá sido extinta após o ano de 1950.

Por último, o discursador Manuel Augusto Dias, falou sobre o “Terramoto de 1755 - impacto em Maçãs de Dona Maria e nas Cinco Vilas”.

Começou por agradecer a todos os presentes e proferiu uma palestra sobre o terramoto de 1755 e os seus impactos, em Lisboa, nos lugares mais próximos e inclusive na freguesia. Tendo deixando apenas fendas nas habitações, telhados no chão e muito poucas casas destruídas, não tendo havido mortes.

No final das palestras, as pessoas tiveram oportunidade de ver as suas dúvidas esclarecidas por ambos os oradores.

Esta palestra teve, mais uma vez, o apoio da junta de freguesia de Maçãs de D. Maria.

Mónica Teixeira