Rancho Folclórico da Freguesia de Pussos apresentou livro "Notas Paridas da Terra"

O Rancho Folclórico da Freguesia de Pussos (RFFP) apresentou o seu livro "Notas Paridas da Terra", no dia 22 de março, na Casa Municipal da Cultura de Alvaiázere. A obra retrata o património rural do concelho de Alvaiázere, por isso, na sessão de apresentação, o rancho apresentou várias recriações históricas do passado alvaiazerense. Para o RFFP, a apresentação desta obra "é um momento de grande importância".

"Este é um momento de grande importância para o RFFP, porque a apresentação da obra "Notas Paridas da Terra" representa de alguma forma a oportunidade de devolvermos à comunidade algum do saber recolhido ao longo de 18 anos de existência e que desta forma fica registada de forma impressa e sistematizada", afirmou o vice-presidente do RFFP, Miguel Carvalho, adiantando que este livro "é o resultado da recolha que está subjacente ao trabalho de qualquer grupo que se dedica à etnografia e consequentemente às nossas gentes, por isso mesmo, é um trabalho que nunca está completo".

"Esta sessão de apresentação do livro "Notas Paridas da Terra" será inspirada naquilo que os nossos antepassados nos ensinaram", disse Miguel Carvalho no início da sua intervenção, acrescentando que o rancho optou por apresentar o livro de forma informal, de forma a "dar destaque ao conteúdo da obra". Desta forma, durante a sessão de apresentação do livro, o RFFP representou algumas recriações históricas do quotidiano dos antepassados
alvaiazerenses, nomeadamente uma feira, o convívio depois de um dia de trabalho e o Cantar das Almas Santas.

"Esta obra surge estruturada em cinco capítulos diferentes", explicou o vice-presidente do RFFP, adiantando que no livro encontram-se diversas modas que fazem parte do reportório do grupo, assim como "quadras soltas, cantigas ao desafio, cantares das almas e rimances".

"Hoje é um dia de grande alegria mas também de grande carga simbólica", referiu a presidente do RFFP, Celestina Grácio, argumentando que com a apresentação do livro "Notas Paridas da Terra" "fechamos aquilo que foi uma candidatura ao programa PRODER" que recaiu sobre a ação, preservação e valorização do património rural.

"O livro é bonito graficamente, pelas ilustrações e por aquilo que conta", considerou o Mestre do Folclore Português e autor do prefácio desta obra, José
Travasso dos Santos, que defende que "com este trabalho, o RFFP registou um trabalho que é extremamente importante". Para José Travasso dos Santos, "a riqueza do mundo está na variedade de culturas", daí a importância destes grupos, que considera ser "o garante do futuro da nossa cultura", e deste livro, que "conta um pouco da história da cultura do povo desta região".

O diretor do Mosteiro da Batalha e autor do posfácio, Joaquim Ruivo, salientou a importância dos grupos como o RFFP na defesa do património rural e da etnografia, argumentando que estes grupos "garantiram, à falta de melhores estudos, a salvaguarda de todo um passado, no fundo a base da nossa identidade enquanto povo".

António Gabriel, vice-presidente da Federação do Folclore Português, lembrou que "os desafios dos grupos de folclore assentam em três vertentes: recolher, divulgar e preservar". "Um dos bons exemplos de preservar é este livro, porque ao escreverem estão a garantir a continuidade deste saber", defendeu António Gabriel, que considera que o livro "Notas Paridas da Terra" será "uma obra extremamente importante".

A vice-presidente da Câmara de Alvaiázere, Célia Marques, reconheceu o "trabalho excelente e de qualidade do RFFP" e felicitou a associação "pelo livro hoje apresentado e pela compilação deste trabalho sobre património".

Durante a cerimónia de apresentação do livro "Notas Paridas da Terra", o RFFP ainda distinguiu Selma Carvalho, Elvira Ferreira e Rogério Freitas como Sócios Beneméritos desta Associação, pelo "reconhecimento dos serviços prestados ao RFFP, pela permanente colaboração e disponibilidade".