João Castelão venceu medalha de prata no Campeonato Nacional de Dressage

A paixão que tornou João Castelão campeão

João Castelão, alvaiazerense de gema, desde pequeno que começou a demonstrar uma grande paixão por cavalos e por isso nunca teve dúvidas que a sua vida profissional teria de passar por lidar com estes nobres animais.

Apostou forte na sua formação e concluiu com distinção o curso de Técnico de Gestão Equina na Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes.

Concluída a formação académica, cedo iniciou o mundo do trabalho na gestão da "Coudelaria Al-Baizir", em Relvas - Maçãs de Caminho, concelho de Alvaiázere. Foram tempos que lhe permitiram desenvolver as suas competências profissionais, mas acima de tudo que fizeram crescer a sua paixão pelos cavalos e estimular o sonho que tinha em participar em alta competição. Durante este período participou em alguns torneios regionais, nomeadamente no Campeonato Regional de Obstáculos e nalgumas provas amadoras.

Contudo, foi em 2011, com a mudança para a "Coudelaria Casa Carvalhinha", propriedade de Carlos Carvalhinha, em Torres Novas, que se iniciou a concretização do sonho de participação em alta competição, na categoria de dressage.

"Não nos conhecíamos mas houve uma empatia muito grande entre mim e o Dr. Carlos, que o levou a apostar em mim", refere João Castelão.

A dressage é uma das três modalidades equestres olímpicas, regulada pela Federação Equestre Internacional e cujo objetivo principal é auxiliar o cavalo a desenvolver, através de diversos exercícios, a capacidade de executar todos os seus movimentos naturais, tornando-o um animal flexível, calmo, atento ao cavaleiro e, portanto, agradável de se montar.

Apaixonado nas palavras João Castelão refere que "tem de haver uma simbiose muito forte entre o cavaleiro e o cavalo. Somos um conjunto. Se um não está bem o outro ressente-se disso. Por isso, é fundamental despender muitas horas de treino de forma a ganharmos a confiança, o carinho e o respeito do cavalo para conseguirmos ter uma boa prestação em prova".

Após um ano de treino intenso, em 2013 João Castelão iniciou-se na alta competição e desde logo os resultados superaram as expetativas. Alcançou o 2º lugar, ou seja a medalha de prata, na Taça de Portugal de Dressage de 2013 com dois cavalos: Diu CC no nível elementar e Equador CC no nível preliminar. No campeonato nacional alcançou o 3º lugar com Diu CC na classe de 5 anos e o 4º lugar com Equador CC na classe de 4 anos. A nível individual e como reconhecimento pelo desempenho global na Taça e no Campeonato, onde realizou cerca de 45 provas, foi distinguido com o "Pin de Prata" por ter obtido dez resultados acima dos 68 por cento.

Em 2014, com ânimo reforçado e novos objetivos, conta já com 52 provas realizadas e os bons resultados já estão garantidos.

Sagrou-se vice-campeão no Campeonato de Portugal de Ensino Open cuja final decorreu no Centro Hípico da Costa do Estoril.

No nível médio, com seis conjuntos em prova, o conjunto João Castelão e Diu CC conseguiram a medalha de prata ficando a uma décima da medalha de ouro. "Estivemos sempre em primeiro lugar nas provas. Porém, na última prova não consegui controlar a minha ansiedade e o Diu apercebeu-se disso e acabou por não colaborar. São momentos muito intensos onde nem sempre é fácil controlar as nossas emoções. A possibilidade de ser campeão apenas no segundo ano de participação acabou por me desconcentrar e deixar fugir o título. Mas, não deixou de ser uma vitória o resultado obtido, atendendo à qualidade dos restantes conjuntos em prova".

No nível elementar, com 5 conjuntos em prova, Equador CC e João Castelão, tiveram a mesma sina e apesar de terem estado sempre em primeiro terminaram em 2º lugar, a escassas duas décimas do 1º lugar, alcançando a medalha de prata.

Para encerrar a competição do ano 2014 está em aberto a disputa pela Taça de Portugal, cuja final decorrerá em dezembro na Quinta da Beloura.

Nesta prova as expetativas são elevadas e, atendendo aos resultados até ao momento, tudo aponta para que o conjunto João Castelão e Diu CC conquistem a medalha de ouro no grau médio e ainda a medalha de prata no grau elementar, com o conjunto João Castelão e Equador CC.

Ao nível individual espera a condecoração com o Pin de Ouro pelos resultados obtidos, sendo que o de prata está garantido.

"Este é um desporto muito exigente e muito dispendioso, pelo que sem o apoio incondicional de toda a equipa e do proprietário da Coudelaria, o Dr. Carlos, nada disto seria possível. Para compensar o apoio de todos empenho-me sempre em dar o meu melhor de forma a dar o melhor de mim e a tirar o melhor rendimento possível dos cavalos", salienta João Castelão.

Quanto à equipa que o acompanha, João Castelão não se cansa de tecer elogios ao árduo trabalho e companheirismo fiel que lhe demonstram nomeadamente do seu treinador Hugo Pereira, do ferrador, do veterinário e referiu ainda que "espero que em breve possa haver mais um Alvaiazerense a participar em provas, mais concretamente um Almosterense, o Álvaro Simões, que é um elemento fundamental na equipa, fez a mesma formação académica que eu e revela também um interesse e perfil adequados para a participação em alta competição."

Porque o sonho comanda a vida, João Castelão tem na mira o salto para as competições internacionais e refere que "considerando os bons resultados obtidos nestes dois anos e o estímulo e incentivo do Dr. Carlos, esse será o objetivo para o próximo ano. Será uma aventura de muita responsabilidade, para a qual espero estar à altura, que vai fazer com que tenha menos disponibilidade para participar nas competições nacionais, mas é uma oportunidade que não quero perder".

O seu dia-a-dia é dedicado numa proporção maior ao maneio e treino dos cavalos que o acompanham nas competições. Porém "não posso descurar o acompanhamento que exigem os cerca de 40 animais que compõem a Coudelaria Casa Carvalhinha, pois entre cavalos, éguas e poldros a grande responsabilidade da gestão de tudo o que esses animais precisam para estarem fortes e saudáveis está-me entregue", salienta João Castelão.

"Sou um homem feliz porque sempre tive uma boa equipa para continuar a realizar o sonho de lidar e competir com cavalos. Desde os meus pais, que tudo fizeram para que seguisse este sonho, a minha esposa e minha filha que me apoiam incondicionalmente e a minha equipa de trabalho, considero que tenho os elementos necessários para continuar a apresentar bons resultados", refere com emoção.

Pela paixão e dedicação que demonstrou nesta entrevista, João Castelão só pode continuar a dar cartas no mundo equestre. O jornal "O alvaiazerense" deseja-lhe as maiores felicidades!

Paula Reis