Pedro Lagoa foi apresentado na equipa sénior da Académica de Coimbra para a época 2015/2016

Pedro Lagoa, jovem com raízes alvaiazerenses (filho de António Lagoa e Celestina Grácio), foi apresentado como jogador da equipa sénior da Académica de Coimbra para a próxima época (2015/2016).

O atleta nasceu em Coimbra, a 21 de agosto de 1997, na Maternidade Daniel de Matos, por "decisão dos pais", mas considera-se um "alvaiazerense de gema". Frequentou o jardim-de-infância e o primeiro ciclo de ensino em Cabaços, tendo transitado depois para a Escola Dr. Manuel Ribeiro Ferreira, em Alvaiázere. Foi apenas no Ensino Secundário que passou a estudar em Coimbra, "por ser mais fácil conciliar os estudos com os treinos". Sempre que pode, confessou ao Jornal "O Alvaiazerense", vem a Cabaços "para poder usufruir da presença da família e amigos".

Desde cedo que Pedro Lagoa manifestou "inclinação para a bola", que com dois anos era já o seu brinquedo favorito, vocação que também foi potenciada pelo facto de o seu pai e irmão (que Pedro Lagoa considera as suas "referências", os seus "mestres") serem amantes do desporto rei. Assim, o jovem era "diariamente estimulado, apoiado e ensinado, quer fosse no corredor de casa, na garagem, na rua, nas praças de Cabaços, na praia e nos campos de futebol".

Desde que se lembra, a sua vida "sempre fez sentido com a bola nos pés" e o pai foi o seu primeiro treinador, quando tinha apenas sete anos, no Cabaços Sport Clube, escalão escolas, equipa onde permaneceu entre 2004 e 2007. Na época seguinte (2007/2008), passou a jogar no Grupo Desportivo de Alvaiázere (GDA), escalão infantis, no qual teve como treinador o mister Ricardo Mobarq, "com quem evoluí bastante", frisou Pedro Lagoa, sublinhado que "ter iniciado o percurso futebolístico nos clubes da terra é um orgulho e uma vaidade".

Foi em 2012, aos 15 anos, que tomou a decisão de ir para Coimbra, para "poder obter mais concentração e rendimento nos treinos e, consequentemente, nos jogos, pois deixava assim de estar sujeito à pressão e cansaço das viagens diárias entre Alvaiázere e Coimbra, como aconteceu nos quatro anos anteriores". Nesta altura, o jovem sublinhou que "já há muito estava inscrita a decisão de ser jogador de futebol profissional".

Desde 2011 que Pedro Lagoa enverga a camisola da Académica de Coimbra, tendo passado por diversos escalões até alcançar, este ano, a equipa sénior. Esta conquista representa para o atleta "querer honrar o compromisso assumido comigo próprio de todos os dias me entregar com paixão, garra e determinação, e fazer mais e melhor de acordo com as ordens e instruções que recebo dos treinadores".

Neste momento, integrado no plantel sénior da equipa profissional, onde fez a pré-época e treina semanalmente, Pedro Lagoa não quis deixar de agradecer ao mister José Viterbo e à sua equipa técnica pela oportunidade que lhe foi dada. A par disso, continua a cumprir os jogos do campeonato nacional pela equipa júnior.

"Vestir a camisola da Académica é acima de tudo um sentimento permanente de responsabilidade muito grande, pelo peso da história e da mística da Académica e pelo que representa para a cidade de Coimbra, para todos os academistas, adeptos, sócios, simpatizantes, amigos, corpo técnico e diretores do clube", frisou.

No que diz respeito às suas ambições futuras enquanto jogador, o jovem afirmou que anseia chegar ao mais alto nível no futebol profissional na Académica de Coimbra, bem como integrar o mais cedo possível a Seleção Nacional".

Por isso, terminou, o seu lema é "trabalhar, trabalhar, trabalhar, todos os dias, desejando que o trabalho do dia-a-dia reserve muitas alegrias".

Cláudia Martins
Tags: