Articulação de todos os agentes de proteção civil concelhia permitiu uma boa resposta ao COVID-19

O concelho de Alvaiázere regista, à data do fecho desta edição, um total de 27 casos confirmados, a maior parte associados ao surto epidémico de Covid-19 detetado no lar “Solar Dona Maria”, em Carvalhal, Maçãs de Dona Maria. Outros casos pontuais dispersos têm surgido, mas felizmente e aparentemente, não têm originado cadeias de transmissão.

Importa esclarecer que este número será dentro em breve, ainda menor, pois à data de hoje, sabemos que a repetição dos testes em alguns casos, deu já resultados negativos, o que se traduz num dado positivo e que permite alimentar a esperança em torno do panorama devastador a que a comunicação social nos vai já habituando.

No final do mês de março, o serviço de protecção civil municipal tomou conhecimento de um surto epidémico de Covid-19 no lar “Solar D. Maria, no qual se diagnosticou a infecção por Covid-19 em 25 dos 27 utentes internados naquela entidade e em 9, dos 17 colaboradores. Contudo, há a destacar o facto destes números não se traduzirem todos em vítimas Covid-19 em Alvaiázere, pois a área de residência e consequente número de utente do Serviço Nacional de Saúde não é, em todos os utentes do lar, no nosso território, logo esses casos não se reflectem na estatística do nosso concelho.

Assim que tomámos conhecimento do primeiro caso positivo, considerámos extremamente importante a realização, generalizada a todos os colaboradores e utentes, dos testes à infecção Covid- 19, opinião que não foi unânime, tendo por isso, o serviço de protecção civil de Alvaiázere tomado a iniciativa de contratualizar os testes a uma entidade externa. Logo que os resultados foram dados a conhecer pela delegada de saúde pública, entidade que recepcionou os resultados, foram de imediato tomadas um conjunto de medidas de apoio ao lar que se prolongaram até à sua efectiva necessidade, das quais destaco a cedência de equipamentos de protecção individual a todos os colaboradores e voluntários que se disponibilizaram a ajudar a entidade e, a articulação entre a proprietária do lar e todas as entidades que prestaram serviços. Ainda, destaco, que todas as medidas foram tomadas em colaboração com a delegada de saúde pública e com o Centro Distrital de Leiria do Instituto da Segurança Social, I.P.

Aquando da tomada de conhecimento deste caso, já o serviço de protecção civil, estava a tomar um conjunto de medidas para fazer face ao possível aparecimento de casos positivos Covid-19, assim estávamos já a preparar a instalação de um hospital de campanha no Pavilhão Desportivo de Alvaiázere, com 30 camas, 20 das quais articuladas (propriedade da Santa Casa da Misericórdia), tínhamos já acordado com os proprietários de unidades de alojamentos local a possibilidade de acolhimento a profissionais da área da saúde e havíamos preparado três apartamentos para acolhimento de munícipes com capacidade económica reduzida que não tenham meios que permitam cumprir com necessidades de isolamento que não tivessem condições para cumprir esta indicação nas suas residências.

Neste momento, o serviço municipal de protecção civil, já preparou mais dois espaços, em articulação com a Casa do Povo de Maçãs de D.ª Maria com 20 camas cedidas por um particular e 50 camas no Quartel da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários.

Desde cedo, suspendemos todas as atividades culturais, desportivas e sociais, encerrámos ao público, todos os equipamentos e infraestruturas municipais de carácter cultural e desportivo, suspendemos todos os serviços de atendimento presencial do Município de Alvaiázere, privilegiando a utilização de canais de contacto alternativos, nomeadamente, o contacto telefónico e o endereço electrónico.

E, conscientes do transtorno que estas medidas causariam na população, mas empenhados em criar as condições favoráveis aos nossos munícipes para que o dever social de isolamento e de confinamento fosse cumprido com o mínimo de impacto em cada um de nós, foram implementadas mais medidas com o envolvimento, não só do Município mas também das Juntas de Freguesia. Entre as medidas implementadas, destacamse: a Criação do gabinete SOS Covid-19 com o objetivo de informar e apoiar nas mais variadas vertentes os munícipes do concelho; a atribuição de um subsídio de 10.000,00€ à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alvaiázere, para que possam assegurar o rápido auxílio aos munícipes que dele mais necessitem; a entrega domiciliária de bens de consumo e medicamentos, em articulação com as Juntas de freguesia, àqueles que por motivos vários possam ter dificuldades na sua aquisição; a entrega domiciliária de refeições a todos os alunos e jovens que beneficiam do Escalão A de Ação Social Escolar e escalão B a partir do início do mês de maio; a disponibilização de uma linha de apoio social (o (+351) 800 209 817), criada especificamente para o apoio à COVID-19 a funcionar de segunda a sexta-feira, da parte da manhã, entre as 9h00 e as 12h30, e de tarde entre as 14h00 e as 17h30; a disponibilização de uma plataforma online para proceder a compras de bens essenciais: www. esolidario.pt, especialmente para quem está longe dos seus familiares, que são posteriormente entregues no domicílio; a Disponibilização de solução à base de hipoclorito de sódio a todas as juntas de freguesia do concelho para que possam proceder a ações de limpeza e desinfeção das ruas e espaços públicos como forma de conter a propagação do surto provocado pelo novo coronavírus; a disponibilização de uma máscara (inicialmente, e como forma de sensibilização à importância do seu correto uso) a toda a população; a redução da fatura da água em 80% para os consumidores não-domésticos e a aplicação da tarifa social a todos os clientes domésticos, medida criada em articulação com os restantes concelhos que integram a APIN; a Redução das rendas de habitação social em 50%, com efeito retroativo ao passado mês de março, como instrumento de apoio a famílias que apresentam situações de carência financeira, e, igualmente com efeitos retroativos ao mês de março, a redução do valor da renda para metade das empresas que se mantêm em actividade num espaço municipal, enquanto que as que suspenderam a respetiva atividade ficarão isentas de qualquer prestação e, no âmbito do programa municipal de desenvolvimento da economia local denominado “Alvaiázere+”, a diminuição das rendas dos espaços municipais arrendados a empresas, bem como no valor cobrado às empresas sedeadas na Alvaiázere+ - Incubadora de Negócios.

Aproveito o momento, como responsável da protecção civil de Alvaiázere, para agradecer ao coordenador de protecção civil do Município a sua prontidão e envolvimento, a todos os serviços da Câmara Municipal que se adaptaram e se ajustaram às novas condições de trabalho de forma exemplar, às juntas de freguesia pela total colaboração, às IPSS´s e entidades privadas do sector social pela dedicação e colaboração, à Cearte por aceitar o nosso desafio para costurar máscaras, à AHBVA que tem sido um parceiro incansável neste combate à Covid-19, à Força Aérea e ao Exercito Português pela cedência de camas, à Albergaria “Pinheiros” por alojar gratuitamente os profissionais de saúde, aos voluntários da Cruz Vermelha pelo altruísmo e ajuda, aos enfermeiros que cederam os seus serviços gratuitamente, a todas as entidades privadas e associativas e a todos os particulares que contactámos e que se manifestaram disponíveis para colaborar com o serviço de protecção civil desde a primeira hora, colocando sempre o serviço ao próximo em primeiro lugar!

É em momentos como este que, elevo as nossas origens e a nossa capacidade de resiliência, que destaco a nossa capacidade de entreajuda e o nosso altruísmo. Unidos somos mais fortes. Venceremos este combate que enfrentamos porque caminharemos lado a lado convosco neste futuro incerto, mas que estou convicta, superaremos com sucesso! Não deixemos cair a esperança!

 

Célia Marques, Responsável da Proteção Civil Municipal
Tags: