IX Capítulo da Confraria Chícharo recordou Confrade Vidal Duarte

A Casa Municipal da Cultura de Alvaiázere acolheu no dia 20 de outubro, a cerimónia do IX Capítulo da Confraria do Chícharo, momento que ficou marcado pela entronização de 15 confrades, 12 efetivos e três de honra, “pessoas ou instituições que contribuam, de alguma forma, para o engrandecimento da Confraria e dos seus propósitos”. Considerado o “momento alto da vida da Confraria”, reveste-se de particular importância na vida da mesma e do próprio Concelho, uma vez que “depois de um ano a percorrermos todo o país, a divulgar a nossa leguminosa e a nossa cultura, neste dia recebemos em Alvaiázere quase duas centenas de pessoas dos mais variados pontos do território nacional, continente e ilhas, dando assim a conhecer, para além da nossa gastronomia, também o nosso património natural, edificado e cultural”, referiu Paulo Reis Silva, presidente da direção.

Neste momento, a Confraria conta com 76 confrades efetivos e nove de honra – “este título pretende reconhecer o mérito de trabalhos científicos, literários e outros, que contribuam para a preservação do nosso património e ainda distinguir as instituições que colaboram com a Confraria e com as suas ações” -, sendo a “alma da Confraria e quem dá vida à Instituição”. O presidente da direção acrescenta que são os confrades que “abnegadamente percorrem o país a divulgar, mais do que a Confraria, o Concelho, o seu património gastronómico e a sua cultura. São, portanto, a peça mais importante de toda esta engrenagem e daí a importância da sua entronização”.

Durante esta cerimónia, foi ainda lembrado o confrade Vidal Duarte, falecido em dezembro do ano passado. “Para além de ser um amigo, o Vidal era um confrade bastante ativo, que respondia sempre presente às solicitações e desafios da direção. Era alguém que tinha um orgulho enorme em ser alvaiazerense, defendia com garra a sua terra e as suas gentes e envergava com grande brio o traje da Confraria e que, nas várias deslocações que fizemos juntos irradiava simpatia e boa disposição, com a sua alegria contagiante”, lembrou Paulo Reis Silva.

Depois da cerimónia, seguiu-se um desfile pelas ruas da vila até ao jardim norte, onde foi tirada a foto de família e, de seguida, regressaram à Quinta Artur Pedrosa, onde já tinha sido servido o pequeno almoço e foi servido também o almoço. Os presentes puderam degustar pratos tradicionais da gastronomia alvaiazerense, como petingas albardadas, tiborna de bacalhau, queijo, azeite e vinho da região. O dia terminou com momentos de grande convívio entre as mais de 40 confrarias presentes e com a tradicional troca de lembranças.

Em relação ao futuro, o presidente da direção prefere não fazer planos, afinal “estamos em final de mandato”. Contudo, releva que há pelo menos dois projetos nos quais têm trabalhado e os quais gostariam de concluir, que são “a publicação de um folheto promocional da Confraria e do Concelho e a apresentação do resultado do protocolo de colaboração com a ETP Sicó” que, para já, prefere não divulgar. Para além disso, a Confraria continuará com a sua atividade regular, participando em capítulos de outras Confrarias e outros eventos organizados pela Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas e outras entidades.