Opinião

Voltou a vida a Alvaiázere! É cíclico, nos meses das férias escolares a vila fica despovoada e deserta, mas em Setembro renova-se e a vila volta a fervilhar. As “andorinhas” voltam sempre no Outono!

A não recondução de Joana Marques Vidal (JMV) no cargo de Procuradora Geral da República (PGR), foi a mais fatal das ações contra a nossa democracia nos últimos anos, ela (a democracia) que é constantemente atacada por aqueles que a deviam defender… os políticos.

Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa ao não reconduzirem JMV mostraram ao País que investigar políticos, banqueiros, clubes de futebol, pode ser uma manobra proibida em Portugal e dá direito a “expulsão”.

Setembro é o mês do regresso ao trabalho para alunos e professores, sendo um período de grande ansiedade. Serei colocado? Terei trabalho? Onde?

Sobre educação fala-se e escreve-se muito. Em meia página vou tentar desmistificar algumas inverdades inculcadas na opinião pública.

A 4 de Agosto foi batido o recorde de temperaturas, desde que há registos, em pelo menos 25 estações meteorológicas do nosso País. Tem sido frequente o aumento de fenómenos extremos de temperatura, com secas e incêndios devastadores. Ressaltam as tempéries inusitadas nos países escandinavos, como Finlândia, Noruega e em especial a Suécia, com incêndios devorando florestas, algumas muito próximas da região ártica. O termómetro na Sibéria chegou aos 40 graus. Na Califórnia, são milhares os hectares queimados, com incêndios que duram há várias semanas.

Agosto, meu querido agosto. É o que dizem muitos portugueses. Uns porque finalmente estão de férias, outros porque finalmente estão de regresso à sua terra natal, outros porque em Portugal agosto é sinal de apatia geral.

É também tempo de festas e romarias e o nosso Concelho não é exceção. Em todas as freguesias, o calendário é preenchido com os tradicionais bailes, quermesses, ranchos e passeios de motas, que é a nova moda dos programas.

Em Portugal, apesar do decréscimo da natalidade, verificamos que, para o bem e para o mal, continua a ser um país fértil em chicos-espertos. A maioria das vezes, achamos graça e até orgulho a esta capacidade de desenrascanço e somos naturalmente benévolos e passivos a esta criatividade bem vincada. Quando a coisa nos vai aos bolsos ou toca nas nossas convicções, o caso muda de figura.

O chico-espertismo apresenta variáveis. Vejamos os casos de alguns chicos- -espertos que, não olhando a meios e de forma oportunista, tentaram “passar a perna” para atingir os seus fins.

Chegou-me há dias às mãos um papel dizendo que um político deste País, em 1932 proferiu a seguinte frase numa entrevista ao jornalista António Ferro.

A frase dizia o seguinte: “Há que regular a máquina do Estado com tal precisão que os ministros estejam impossibilitados, pela própria natureza das leis, de fazer favores aos seus conhecidos e amigos”.

Um famoso escritor espanhol, há tempos, numa entrevista a uma revista portuguesa, chocou-nos com “o mundo é um sítio perigoso, cheio de filhos da puta”. A recente aventura dos 13 jovens tailandeses que ficaram encurralados numa caverna, mostrou como é grande a solidariedade mundial e como pode mobilizar quereres e vontades por objectivos nobres. O mundo sofreu e acabou por suspirar de alívio com o final feliz. Este “sítio perigoso” pode ter coisas muito más, mas também tem coisas belas e comoventes que nos fazem chegar as lágrimas aos olhos.

Foi com tristeza e consternação que recebi a notícia do falecimento do Sr. Dionísio.

Mais um Bom Homem que segue o caminho na vida eterna e que nos deixa um legado que muito enriqueceu Alvaiázere nos últimos anos, nomeadamente no capítulo cultural e social, num trabalho sempre em prol da comunidade.

Como exemplo, o Sr. Dionísio fundou e presidiu o Grupo Coral “Alva Canto” que promove a Cultura no nosso Concelho de forma ímpar, desenvolvendo atividades ao longo do ano que preenchem a agenda cultural e recreativa de Alvaiázere.

Algures, na internet, encontrei uma publicação, mais propriamente a Portaria do Diário da Republica nº 133 de 7 de junho de 1912, secção de avisos e anúncios oficiais.

Aqui fica, pretendendo ser um pequeno subsídio para a história de Alvaiázere. Nela se constata que a freguesia de Almoster pertenceu ao concelho de Ansião.

Também são referidas algumas pessoas que fazem parte da história de Alvaiázere, como é o caso de Policarpo Marques Rosa, notário, escritor, arquiteto, investigador, político e jornalista, entre outras atividades.