Opinião

17 de Junho de 2017, ficará para sempre gravado, a negro, na memória de Portugal. Não há registo, na era moderna do nosso País, de tantas vítimas de um incêndio. Sabemos que as altas temperaturas favorecem o surgimento de incêndios e acabamos por nos conformar que todos os anos ardam largos hectares da nossa floresta, mas o que o País não aceita, nem pode admitir, são tantas mortes.

Hoje era para estar a escrever sobre a FAFIPA e sobre Alvaiázere. Não consigo!

Depois do que aconteceu nos Concelhos de Pedrogão Grande, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Perâ, só consigo pensar neles...

E não me esqueço da população da Freguesia de Maçãs de D. Maria. Mas aqui tirando a floresta e um ou outro barracão, não ficaram destruídas empresas e casas, não ficaram por terra o sonho de uma vida e acima de tudo não morreu ninguém...

Meu Deus... que brutalidade!!!

Tal como se previa, em Alvaiázere já começou a propaganda política face às eleições autárquicas do próximo dia 1 de Outubro. E esse facto nota-se no frenesim de pequenas obras para encher o olho aos incautos, e principalmente para já, no tom dos discursos das cerimónias do dia do concelho. Auto elogios, ataques à oposição e críticos. Auto elogios no aspecto em que a governação é que faz (então estariam lá a fazer o quê?) e sabe fazer (elogios em causa própria é vitupério).

Tenho sido contactado por várias pessoas do nosso concelho, que me abordam, alegando que gostam de ler os meus artigos no nosso Alvaiazerense.

Confesso que fico um pouco orgulhoso. Mas sou sempre o mesmo homem, conhecido na parte Norte de Alvaiázere, pelo Alberto do Vale de Alcaide, que falo para toda a gente com a mesma cordialidade, não procuro ser orgulhoso daquilo que sou e trato todas as pessoas, seja qual for a idade por você e por senhor. São ideias minhas e foi educação que meus pais me deram. Mas enfim. Sou aquilo que sou e hei-de continuar a ser enquanto Deus me ajudar.

Maio de 2017 foi um mês muito especial para Portugal, que ficará para sempre gravado na nossa história, graças à vinda do Papa Francisco a quem os portugueses mostraram toda a sua admiração. É difícil resistir a figura tão inspiradora e motivadora, pela atitude plena de autenticidade e humildade.

O mês de maio fica marcado por feitos desportivos dos clubes do nosso Concelho.

A começar pelo Grupo Desportivo de Alvaiázere que alcançou a subida ao principal escalão do futebol do Distrito de Leiria depois de ficar em segundo lugar na fase final do campeonato da I divisão Distrital, a um ponto dos Vidreiros que se sagraram campeões após aproveitar um desaire caseiro do GDA frente ao Figueiró dos Vinhos.

Apesar dessa derrota, o GDA fez um campeonato sem mácula, ficando em primeiro lugar na 1ª fase tendo mesmo o melhor ataque e a melhor defesa da prova.

AUTÁRQUICAS...

Apesar de as eleições autárquicas apenas serem em Outubro próximo, o País, todo ele, já mexe em redor desse acontecimento.

Vivemos tempos conturbados. O clima de tensão a nível internacional assusta os mais frágeis e levanta interrogações sobre o futuro. No meio da tormenta ouvem-se sinos de alerta, no caso, a voz da prudente China lembrando que numa guerra nos tempos de hoje nunca haverá vencedores, só derrotados. Palavras sábias!

É fácil falarmos de pessoas. É mais fácil ainda falarmos de pessoas boas. Que de um modo ou de outro marcaram uma geração, uma terra, uma vida.

Falar da Drª Hermínia é um exercício tão simples mas que se torna complicado nestas curtas linhas, pois é pouco o espaço para tão grande legado.

Mas começando. Maria Hermínia Paisana Granja Aparício nasce a 2 de agosto de 1945, na localidade de Amêndoa, Concelhio de Mação. Aí, completa todas as etapas de ensino até entrar na Faculdade de Medicina de Lisboa onde se licencia com distinção em Medicina e Cirurgia.

Aos amigos leitores que apreciam aquilo que eu escrevo, quero pedir desculpa, por não ter aparecido no Alvaiazerense o meu nome. Mas nem sempre estamos inspirados para dizer o que nos vai na alma. Mas desta vez vamos ao que interessa.

No jornal CORREIO DA MANHÃ, datado de 06/04/2017, e logo na primeira página, vem escrito em letras gordas o seguinte: “TRIBUNAL CONFIRMA CINCO ANOS DE PRISÃO PARA VARA” juízes duros com políticos que usam dinheiro público como se fosse seu.