Opinião

Alvaiázere, seus contrastes, discrepâncias e singularidades…

No dia 20 de novembro, Dia Internacional dos Direitos da Criança, comemorou-se a proclamação mundial desses direitos em 1959, que não deveriam ser só lembrados nestes dias, porém estas datas são propícias para fazer um balanço da nossa ação para prestar às crianças os cuidados essenciais, na saúde e numa alimentação adequada, assim como na proteção contra todas as formas de exploração, negligência e crueldade.

Com o enfraquecimento da direita política em Portugal tornou-se público e evidente o que mais temia.

Os tiques anti democráticos da esquerda que nos governa, não tardaram a sair dos armários após os resultados das últimas legislativas.

Aqueles que se acham os guardas pretorianos da democracia Portuguesa (a esquerda política), tomam atitudes ditatoriais igualando por vezes os regimes de socialistas/comunistas da América Latina, envergonhando os que como eu defendem uma democracia livre e plural, onde o debate se torna o Pai da razão e da Governação.

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E enfim converte em choro o doce canto.

Muitas vezes considera-se o património, como os bens materiais de família transmitidos por herança de pais para filhos, de forma muito redutora e de senso comum, já que o património não engloba só bens materiais mas sim um conjunto de bens também de natureza imaterial com interesse e reconhecido valor a vários níveis, ambiental, histórico, artístico, cultural e que correspondem aos modos de viver de um povo que o particulariza e lhe dá uma identidade.

Mais um festival Gastronómico e mais um sucesso…

Apetece-me dizer que o “Chícharo está na moda…”. Foram milhares de visitantes de 11 a 13 de outubro que vieram “provar o património” e apreciar as nossas potencialidades.

Com um programa muito bem conseguido, com concertos muito bons em especial o de Pedro Abrunhosa, foi muito bom ver o recinto completamente cheio (e com a bênção de S. Pedro).

Um dos maiores problemas que a humanidade irá enfrentar nos próximos anos será a escassez de água potável.

Vários estudos evidenciam que as reservas deste precioso líquido estão a diminuir, ao mesmo tempo que as alterações climáticas estão a intensificar a pluviosidade em zonas onde ela não é necessária e que, consequentemente, no futuro, teremos um mundo mais seco, principalmente em regiões que já são secas.

Em Portugal ocorrem cinco tipos de eleições, as presidenciais, as legislativa regionais, as legislativas, as autárquicas e as europeias. De todas as eleições referidas, só as europeias é que não são especificas do nosso país, já que se realizam, por toda a Europa, para eleger para o parlamento europeu os representantes de cada país.

Das quatro eleições realizadas especificamente no nosso país, todas se realizam de quatro em quatro anos à excepção das presidenciais que se realizam de cinco em cinco anos e elegem o mais alto representante da nação, o Presidente da República.

Alvaiázere tem nos próximos tempos, quanto a mim, a última oportunidade de se aproximar de níveis de desenvolvimento sócio económicos mais elevados equiparando-se assim a concelhos com excelentes condições e qualidade de vida.

Com ímpares vias de comunicação, com a criação da área empresarial do Rego da Murta, com os excelentes equipamentos sociais que possuímos, é hora do “agora ou nunca”.

Agora não há espaço para guerras partidárias ou de outra espécie.

Agora é hora de pensar em grande, é hora de pensar em Alvaiázere.

As alterações climáticas são uma realidade indiscutível e torna-se fundamental pensar e desenvolver ações para minimizar o seu impacto, sem demagogias e populismos fáceis, alicerçadas no conhecimento científico.

Se os fatores que levam a essas alterações nem sempre são consensuais, quase todos concordam que a atividade humana tem um efeito preponderante na sua aceleração e que isso terá um efeito brutal na vida de milhões de pessoas.