PROPRIEDADE: CASA DO CONCELHO DE ALVAIÁZERE
DIRECTOR-ADJUNTO: CARLOS FREIRE RIBEIRO
DIRECTOR: MARIA TEODORA FREIRE GONÇALVES CARDO
DIRECTOR-ADJUNTO: CARLOS FREIRE RIBEIRO

Votar é seguro - 30 de Janeiro

Zonas Industriais do Concelho, sua ocupação e atividades

Alargamentos de zonas industriais do concelho reforçam estratégia de progresso económico

31 de Maio de 2021

Nesta reportagem procuramos dar a conhecer a realidade atual da localização geográfica dos espaços “Zona Industrial” no concelho de Alvaiázere, sua ocupação e atividades. Identificam-se quatro espaços, dispersos entre si, constatando-se a proximidade de áreas residenciais, nomeadamente na última, Área Empresarial do Rego da Murta, despertando questões do binómio progresso e empreendedorismo industrial com o impacto social e ambiental das práticas industriais e a preservação da qualidade de vida das populações. O município garante “elevados padrões de qualidade”.

O concelho de Alvaiázere possui, atualmente, três zonas industriais já infraestruturadas, e uma quarta que se encontra em construção.

Abordaremos em primeiro lugar as já construídas: Zona Industrial Vale Aveleira, com área de 51549 m2 possuindo apenas dois lotes disponíveis, de reduzidas dimensões, de 540 m2 cada; Zona Industrial da Saganga, de 13406 m2, situada junto à entrada sul da Vila de Alvaiázere, que está totalmente ocupada, tendo-se verificado uma revitalização daquele espaço que, agora, assume uma vocação maioritariamente comercial e Zona Industrial da Troia, com 11450 m2 , que também só já tem dois lotes disponíveis, num total de 1400 m2.

Segundo informação do Município, a Zona Empresarial do Rego da Murta em construção irá ocupar uma área superior a 120000 m2, num investimento de 2.184.017,76€, valor comparticipado pelo Centro 2020 de 1.247.427,15€. E, apesar de ainda estarem em construção, os 48 lotes modulares, já foram todos atribuídos a empresas, perspetivando-se a fixação das mesmas aquando do término da obra.

A Presidente, Célia Marques, referiu que, embora as obras de infraestruturação do loteamento ainda estejam numa fase inicial, há empresas que já começaram a construção das suas respetivas instalações, o que no seu entender “revela a dinâmica empresarial que se está a produzir no concelho”. E para colmatar esta procura, esclareceu, “Face a esta realidade, a Câmara Municipal está a mover esforços no sentido de possibilitar o alargamento da Zona Industrial do Vale de Aveleira e da Área Empresarial do Rego da Murta, de forma a que a inexistência de lotes industriais não limite a captação de investimento empresarial para o concelho, pelo que no processo de revisão do Plano Diretor Municipal em curso, a autarquia está a negociar com as entidades que gerem quer a Reserva Ecológica Nacional, quer a Reserva Agrícola Nacional, de forma a salvaguardar a expansão destas infraestruturas”.

Informou ainda que se tem registado um aumento do interesse dos empresários e empreendedores pelo território Alvaiazerense, pela localização central do concelho, pelas boas acessibilidades, e também por alguns incentivos nacionais concedidos aos territórios de baixa densidade.

E relativamente às condições que levam à grande procura, por parte de empresários, da nova área empresarial, do Rego da Murta, a Presidente, Célia Marques, justificou, “garantimos elevados padrões de qualidade, capazes de proporcionar às empresas condições de operação que respondam às necessidades mais exigentes, nomeadamente: infraestruturas de telecomunicações (rede de fibra ótica, rede wi-fi, comunicações móveis digitais), infraestruturas energéticas (gás, eletricidade de baixa e média tensão), infraestruturas ambientais (estação de tratamento de águas residuais, redes principais de drenagem de águas residuais e de águas pluviais), estacionamentos, arruamentos, espaços verdes, entre outros. Os lotes industriais são vendidos a apenas €0,10/m2”.

Mais informou que, a componente infraestrutural é complementada por um conjunto de serviços, assegurados pela “Alvaiázere+ Incubadora de Negócios”, como sejam, o acolhimento de empresas, incubação e pós-incubação, consultoria especializada, formação profissional, apoio à formação, estabelecimento de rede com entidades do sistema científico e de instituições de I&D, bem como acesso às instalações da incubadora, tais como, sala de formação, sala de reuniões, etc. E ainda deu a conhecer outros incentivos que podem usufruir os empresários empreendedores, e serem determinantes para a sua fixação no território de Alvaiázere, “Há ainda um outro conjunto de benefícios, como sejam a isenção de derrama e de todas as taxas municipais relacionadas com a atividade económica, bem como a prestação de um subsídio não reembolsável para apoio ao investimento e à empregabilidade”.

A Presidente, Célia Marques, concluiu convicta de que o Município de Alvaiázere reúne todas as condições para o desenvolvimento económico, pelos apoios proporcionados tornando-se um local de eleição, para os empresários e justificando ainda a elevada procura destes no nosso concelho, pela implementação das medidas que integram o Programa Alvaiázere+. “Todos estes apoios estão, pois, alicerçados no já referido Programa Alvaiázere+, que traduz a estratégia de desenvolvimento económico do Município de Alvaiázere e tem como ambição tornar o Município de Alvaiázere um polo de referência para o desenvolvimento de ideias de negócio e para a instalação de empresas, um verdadeiro ecossistema empresarial que crie valor para os agentes económicos com atividade no concelho de Alvaiázere”.

Teodora Cardo

Votar é seguro - 30 de Janeiro