PROPRIEDADE: CASA DO CONCELHO DE ALVAIÁZERE
DIRECTOR-ADJUNTO: CARLOS FREIRE RIBEIRO
DIRECTOR: MARIA TEODORA FREIRE GONÇALVES CARDO
DIRECTOR-ADJUNTO: CARLOS FREIRE RIBEIRO

Votar é seguro - 30 de Janeiro

AlvaiázereCine

Festival dá prémios até 4.000 euros

31 de Outubro de 2021

O evento AlvaiázereCine tem inscrições abertas até 8 de novembro.

O Festival Internacional Fernando Lopes - Alvaiázere Cine (FIFLAC) homenageia Fernando Lopes, um dos mais relevantes cineastas portugueses, do concelho de Alvaiázere, natural de Maçãs de D. Maria.

As inscrições no festival estão abertas até 8 de novembro para curtas-metragens de ficção, animação, documentário e videoclips, e ainda para uma categoria especial que premiará curtas-metragens realizadas em ambiente de formação cinematográfica, com prémios até 4.000 euros.

Os vencedores serão conhecidos no encerramento do FIFLAC, que irá decorrer entre 10 a 12 de dezembro.

A presidente cessante da Câmara de Alvaiázere, Célia Marques, em um de outubro, no lançamento da primeira edição do evento referiu-se a este como, “um marco” e “o início de uma caminhada” numa “nova visão e sensibilidade para a cultura” justificando a importância deste, “porque a cultura também é importante para o desenvolvimento de uma comunidade”, por “transmitir através de vários projetos variantes artísticas, bem como despertar novas sensibilidades”.

Este festival surge no âmbito da formação cinematográfica AlvaiázereCine, dinamizada por Hirton Júnior, que teve início este ano em fevereiro, num total de 300 horas, com a participação de alunos de várias nacionalidades, Portugal, Brasil, Espanha e Itália, tendo sido produzidas nessa formação, três curtas-metragens exibidas na apresentação pública do festival. Célia Marques considerou o trabalho de excelência, “Com pouco tempo, com poucos recursos, foi extraordinário o trabalho desenvolvido e termos tantos artistas e tantos talentos no concelho”. Sobre o dinamizador da iniciativa, Hirton Fernandes Júnior, mestre em artes performativas pela Universidade Federal da Bahia (Brasil) e doutorando em Artes Performativas e da Imagem em Movimento na Universidade de Lisboa, com vasta experiência nesta área, a vereadora da Cultura cessante, Sílvia Lopes, felicitou-o e agradeceu-lhe o ter lançado à autarquia este extraordinário desafio, que considerou como, “uma experiência única e gratificante”.

Votar é seguro - 30 de Janeiro