PROPRIEDADE: CASA DO CONCELHO DE ALVAIÁZERE
DIRECTOR-ADJUNTO: CARLOS FREIRE RIBEIRO
DIRECTOR: MARIA TEODORA FREIRE GONÇALVES CARDO
DIRECTOR-ADJUNTO: CARLOS FREIRE RIBEIRO

A Magia do Natal no nosso concelho

31 de Dezembro de 2019

Nos dias de hoje, mesmo com o passar dos tempos, o presépio continua a ser lugar de encontro.

José e Maria foram obrigados a deixar a sua terra, embora cheios de esperança no futuro pelo filho que estava prestes a chegar, tal como milhares de pessoas que, hoje em dia, têm de deixar as suas localidades.

Tiveram de integrar-se numa terra que não os esperava e onde não tinham lugar.

Hoje em dia, nós vemos famílias inteiras que são forçadas a abandonar as suas terras, milhões de pessoas que não escolhem sair, mas que são obrigadas a fazê-lo, deixando para trás os seus entes queridos.

Mesmo no meio da obscuridade de uma cidade, que não tem espaço nem lugar para um estrangeiro que vem de longe, no meio da obscuridade de uma cidade cheia de movimento, precisamente aí, acende-se uma chama de esperança através da ternura de Deus; o nascimento de Jesus.

Acolhem-n’O os Pastores que são os primeiros a chegar.

Os pobres são os privilegiados deste mistério e, muitas vezes, aqueles que melhor conseguem reconhecer a presença de Deus no meio de nós.

Os Reis Magos percorrem um longo caminho ensinando que se pode partir de muito longe para chegar a Cristo.

Hoje, no aconchego das nossas casas, no acumular de novas tecnologias que se substituem aos momentos em família, onde tantos outros caminhos se nos apresentam, desviando-nos a atenção do essencial e convidando- nos ao supérfluo, neste mundo novo, continua a haver espaço para tudo o que é humano e para toda a criatura.

O Menino Jesus continua a darse a todos nós, na sua fraqueza e fragilidade, transmitindo-nos de forma clara a mensagem de que não podemos deixar-nos iludir pela riqueza e por tantas propostas efémeras de felicidade.

Jesus nasceu pobre e levou uma vida simples, para nos ensinar a identificar e a viver do essencial.

Mesmo nos dias de hoje, o presépio continua a ser um convite a «sentir» e a «tocar» a pobreza de Jesus, um apelo a seguir o “caminho da humildade, da pobreza e do despojamento, que parte da manjedoura de Belém”.

Texto ilustrativo do Presépio ao Vivo da Escola Básica de Maçãs de D. Maria