PROPRIEDADE: CASA DO CONCELHO DE ALVAIÁZERE
DIRECTOR-ADJUNTO: CARLOS FREIRE RIBEIRO
DIRECTOR: MARIA TEODORA FREIRE GONÇALVES CARDO
DIRECTOR-ADJUNTO: CARLOS FREIRE RIBEIRO

Mário Bruno Gomes

31 de Outubro de 2020

Escrevia eu em artigos anteriores que se conseguíssemos passar pelos “pingos da chuva” no mês de agosto, que conseguiríamos sair desta maldita pandemia incólumes… Puro engano!

Mais uma vez e com a porta de entrada a ser um Lar de Idosos desta vez no Lar I da Associação da Casa do Povo de Maçãs de Dona Maria, surge um surto onde 37 utentes e 15 funcionários testam positivo, tendo colateralmente surgido mais três casos na comunidade um deles aluno do JI de Maçãs de Dona Maria levando ao encerramento do Centro Escolar.

31 de Agosto de 2020

No artigo do mês anterior, alertei para o facto de Agosto ser um mês decisivo no controlo de possíveis surtos de COVID-19 em Alvaiázere.

Devido ao cumprimento das regras de proteção individuais, coletiva e sociais pela maioria das pessoas (que saúdo) até à data, continuamos com zero casos ativos no Concelho.

Este valor só é possível porque também as IPPS, organismos públicos e empresas, cumpriram na integra os seus planos de contingência o que nem sempre é fácil.

Agora à que continuar e não baixar as armas.

31 de Julho de 2020

Vamos entrar no mês crucial para os indicadores COVID-19 no Concelho e no País.

Agosto é por norma o mês de relaxe, dos convívios, dos encontros entre familiares e amigos, das jantaradas, das esplanadas, etc.

É também o mês de entrada de muitos daqueles que a vida os afastou da terra natal e procuram agora “matar” saudades daqueles que deixaram para trás.

E é aqui que pode residir o “controlo ou descontrolo” da situação.

30 de Junho de 2020

Tempos estranhos estes que vivemos. A Pandemia a que assistimos e vivemos alterou completamente a nossa forma de viver, estar, conviver, conversar, eu sei lá mais o quê...

Quando tudo parecia ir no bom caminho, eis que a irresponsabilidade de alguns (nomeadamente na grande Lisboa) põe quase tudo a perder e a palavra confinamento começa a pairar no ar novamente.

Consequência das constantes manifestações públicas nomeadamente do Presidente da República e do Primeiro Ministro, de que estava tudo bem e que Portugal era um exemplo Mundial no combate ao COVID-19?

30 de Abril de 2020

Vivemos tempos que nem os mais vividos conseguem descrever.

Hoje, nem os mais experientes sabem como lidar com esta situação de saúde, social e no futuro económica.

E é nas situações mais temíveis e difíceis que o Homem se mostra nas suas melhores qualidades.

Como agente atuante nesta pandemia, posso testemunhar o que de mais belo tem o ser humano e não só…

Começámos com um choque! A situação do Lar “Solar de Dona Maria” pela sua precocidade foi difícil.

31 de Março de 2020

Só uma coisa... Por favor

Fiquem Em Casa!!!

Por si, Por Nós, Por Todos.

Obrigado!

29 de Fevereiro de 2020

Alvaiázere, vive os primeiros dias de uma experiência administrativa que congrega num só edifício várias valências de serviços do estado e da Câmara Municipal, desde finanças, segurança social, registo notarial e o já existente tribunal.

Este conceito permite ao cidadão tratar dos seus assuntos com muito mais comodidade, celeridade e conforto pois o edifício possui todas as valências tecnológicas, com agradáveis equipamentos e há que dizê-lo num trabalho notável do Arquiteto Artur Silva que aqui saúdo.

31 de Janeiro de 2020

A justiça portuguesa vive nestes dias, dias tenebrosos.

O aparecimento do Rui “bom”, que de repente e por divulgar o caso dos e-mails e desmascarar ao que dizem várias personalidades e DDT’s deste País à beira mar plantado, se tornou rapidamente no Rui “mau” e que tinha de ser silenciado e detido já que violou as caixas de e-mail de bandidos e corruptos.

31 de Dezembro de 2019

As mortes custam muito.

As mortes das pessoas de que gostamos e admiramos custam ainda mais.

Dedico este artigo à professora Alzira Silva.

Pessoa amiga, afável, integra, que ensinou e soube ensinar milhares de jovens que tiveram o privilégio de a ter como professora.

Fez-me gostar da disciplina de Francês. Conseguia incutir nos seus alunos o respeito que um professor merecia e dirigia-se aos alunos com um respeito imaculado, também como eles merecem.

Conseguia respeitar e ser respeitada como vi em poucos professores ao longo da minha vida académica.

30 de Novembro de 2019

Com o enfraquecimento da direita política em Portugal tornou-se público e evidente o que mais temia.

Os tiques anti democráticos da esquerda que nos governa, não tardaram a sair dos armários após os resultados das últimas legislativas.

Aqueles que se acham os guardas pretorianos da democracia Portuguesa (a esquerda política), tomam atitudes ditatoriais igualando por vezes os regimes de socialistas/comunistas da América Latina, envergonhando os que como eu defendem uma democracia livre e plural, onde o debate se torna o Pai da razão e da Governação.